As artes do Belo

MINHA BATINA

Padre Manuel Albuquerque

 

 Com que alegria e juvenil transporte

Eu te vesti, batina tão querida!…

Nessa cor preta, que relembra a morte,

Com voz tão clara, só me dizes – Vida!…

 

O teu pesado e desejado porte

À epopéia de Cristo me convida!…

E eu, que era fraco, já me sinto forte;…

Era medroso, e só desejo a lida!…

 

Dentro de ti eu sinto-me guardado,

Tal qual se fora intrépido soldado

A combater de um forte baluarte!…

 

E eu juro a Deus, perante os céus e a Terra,

Pois que a batina o meu futuro encerra:

Minha santa batina, eu juro honrar-te!…

 

* A pedido de seus alunos (seminaristas) que a receberam, em 1948, no dia de São José, em Braga, Portugal.

Marcel Barboza Administrator
O responsável pelo site é Licenciado em Filosofia pela Universidade Católica Dom Bosco (UCDB) e Especialista (pós-graduado) em Filosofia e Ensino de Filosofia pelo Centro Universitário Claretiano (CEUCLAR). Editor e professor.
×
Marcel Barboza Administrator
O responsável pelo site é Licenciado em Filosofia pela Universidade Católica Dom Bosco (UCDB) e Especialista (pós-graduado) em Filosofia e Ensino de Filosofia pelo Centro Universitário Claretiano (CEUCLAR). Editor e professor.
Mostrar mais

Marcel Barboza

O responsável pelo site é Licenciado em Filosofia pela Universidade Católica Dom Bosco (UCDB) e Especialista (pós-graduado) em Filosofia e Ensino de Filosofia pelo Centro Universitário Claretiano (CEUCLAR). Editor e professor.

3 Comentários

  1. no domingo passado o pe fabio de melo no programa de frente com a gabi no sbt disse que nao gosta de usar batina e adora carnaval

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo