Editorial

Apresentação das ACST e Edições Santo Tomás

ASSOCIAÇÃO CULTURAL E EDIÇÕES SANTO TOMÁS

“A Verdade é una e indivisível, e não admite transações. É como a água da fonte mais pura. Acondicioná-la é necessariamente alterá-la.”
H. LE CARON

“O melhor serviço que um homem pode fazer aos seus semelhantes, nas épocas de decadência ou de obscurantismo, é afirmar, sem medo, a verdade, ainda quando não é escutado.”
DOM FREPPEL (Bispo de Angers no séc. XIX)
1) A Associação Cultural e as Edições Santo Tomás, que estão sob a coordenação de Marcel Assunção Barboza (marcel@santotomas.com.br), têm por fim precípuo a divulgação e ensino da Doutrina Perene, ou seja, a Doutrina Católica, cujo ápice teológico e filosófico é a Obra de Santo Tomás de Aquino, o Doutor Comum da Cristandade.
“Em todas as coisas nos mostramos como ministros de Deus, com muita paciência, nas tribulações, nas necessidades, nas angústias, nos açoites, nos cárceres, nas sedições, nos trabalhos, nas vigílias, nos jejuns, com a castidade, com a ciência, com a longanimidade, com a mansidão, com o Espírito Santo, com a caridade não fingida, com a palavra da verdade, com a virtude de Deus, com as armas da justiça à direita e à esquerda, entre a glória e a ignomínia, entre a infâmia e o bom nome; como sedutores, embora verdadeiros; como desconhecidos, embora conhecidos; como moribundos, e eis que estamos vivos; como castigados, mas não amortecidos; como tristes, mas sempre alegres; como pobres, mas enriquecendo a muitos; como não tendo nada, mas possuindo tudo.”
SÃO PAULO

“O erro a que não se oferece resistência acaba aprovado; e a verdade que não se defende fica oprimida.”
PAPA FÉLIX III
2) Sem vínculo embora com nenhuma formação religiosa, nem, muito menos, com nenhuma seita ou com nenhum dos que atuam pro domo sua, estamos porém de todo vinculados e obrigados não só àquela Doutrina e Obra mas também, especificamente, à Tradição da Igreja, ao seu Magistério, e à auto-evidência de que os resultados do naturalismo, do liberalismo, do modernismo e do progressismo são os mais nefastos para a mesma Cristandade: em decorrência deles, a vida do cristão — da Missa aos costumes — horizontaliza-se, perde transcendência, amalgama-se com o mundo. Vivemos uma crise aguda de Fé.
“Precisamente nisto consiste o pecar contra o Espírito Santo: combater, por malícia e inveja, a caridade fraterna após ter recebido a graça do Espírito Santo, pecado que, diz o próprio Senhor, não será perdoado neste século nem no futuro.”
SANTO AGOSTINHO

“Interrogai o silêncio, e ele nada vos responderá.”
LOUIS VEUILLOT
3) Antes todavia de ser de Fé, a crise é de inteligência, pois que está partido o vaso mesmo onde se há de verter a Fé. E crise agudíssima, iniciada no já distante século XIII, e prestes a encerrar-se, hoje, com a triste morte do que há de mais propriamente humano: a nossa imagem e semelhança com a Santíssima Trindade. Se estamos a nos aproximar do fim dos tempos, ou, como concede Marcel De Corte, estamos diante tão-somente do fim de uma civilização, eis algo a que não se pode responder com toda a certeza. O fato, no entanto, é que não se pode pensar na volta universal da Fé sem que se lhe refaça o vaso, e eis, assim, isto a que estamos obrigados os da Associação Cultural e Edições Santo Tomás: contribuir, em nossa modesta escala, com aquela divulgação e ensino, para a reparação da inteligência.
“O reconhecimento dos direitos soberanos de Cristo e o retorno dos indivíduos e da sociedade à lei da sua Verdade e do seu Amor são a única via de salvação.”
PAPA PIO XII

“É preferível que ocorra um escândalo a esconder a verdade; escândalo maior seria tolerar o erro.”
SÃO GREGÓRIO MAGNO
4) Precisamente pela referida ausência de vínculo, funcionaremos, mutatis mutandis, como funcionam as revistas Monde et vie e Lectures françaises (Revue de la politique française); estamos abertos a contribuições vindas donde quer que seja, com a única condição de não ferirem nenhuma das nossas obrigações, que se resumem ao compromisso com a Verdade. (Escreve SANTO AGOSTINHO: “A regra absolutamente autêntica e inviolável da verdade mostra que deve ser desaprovado e corrigido em cada um aquilo que há de falso e vicioso, enquanto deve ser reconhecido e aceito aquilo que há de verdadeiro e de reto.”) Nada nem ninguém — nem um acordo aparentemente necessário nem um “anjo do céu” — nos pode desviar dela: com a Verdade não se trafica. Por vezes até devemos calar certos fatos ou aspectos verdadeiros, por sacrifício e oferta a Deus, ou por um bem que o valha; nunca jamais, contudo, se há de torturar a Verdade. Torturá-la é “torturar” ao Altíssimo mesmo, que é a fonte de toda a Verdade, e que, portanto, propriamente falando, é a mesma Verdade.
“E vemos agora a tentativa de edificar a estrutura do mundo sobre bases que não duvidamos em assinalar como as principais responsáveis pela ameaça que pesa sobre a humanidade: uma economia sem Deus, um direito sem Deus, uma política sem Deus. O Inimigo está empenhado em que Cristo seja um estranho nas universidades, na escola, na família, na administração da justiça, na atividade legislativa, nas assembléias das nações, nos lugares onde se decide a paz e a guerra…”
PAPA PIO XII

“Jamais se vence o erro sacrificando nenhum direito da verdade.”
SANTO IRINEU
5) Serão os seguintes os nossos campos de atividade.

a) O magistério indireto, com escritos vários, e direto, com palestras e cursos por todo o Brasil. Os escritos ou se distribuirão por este site, ou se tornarão em livros. Quanto ao magistério direto, vide precisamente a rubrica “Palestras e Cursos”.
“Assim como é licito resistir ao Pontífice que agride o corpo, assim também é licito resistir ao que agride as almas, ou que perturba a ordem civil, ou, sobretudo, àquele que tentasse destruir a Igreja. Digo que é licito resistir-lhe não fazendo o que ordena e impedindo a execução da sua vontade.”
SÃO ROBERTO BELARMINO

“Como ‘a paz é a tranqüilidade na ordem’ (definição de Santo Agostinho), e como a ordem de Cristo foi destruída quase em todas as partes, ninguém pode estranhar que essa tão desejada paz tenha desaparecido do mundo.”
H. LE CARON
b) Este próprio site, “Associação Cultural Santo Tomás de Aquino”, cujo conjunto de rubricas constituirá, ao cabo de certo tempo, vasta biblioteca; encontrar-se-ão nela obras completas, livros avulsos e textos em diversas línguas, que se poderão copiar, imprimir e enviar universalmente.
“Não vos espanteis, porque o mesmo Satanás se disfarça de anjo da luz. Não é pois estranho que os seus ministros também se disfarcem de ministros de justiça.”
SÃO PAULO

“Aos prelados (foi dado exemplo) de humildade, para que não se recusem a aceitar repreensões da parte de seus inferiores e súditos; e aos súditos (foi dado) exemplo de zelo e liberdade, para que não receiem corrigir seus prelados, sobretudo quando o crime for público e redundar em perigo para muitos […]. A repreensão foi justa e útil, e o seu motivo não foi leve […]. O modo como se deu a repreensão foi conveniente, pois foi público e manifesto. Por isso escreve São Paulo: ‘Falei a Cefas’, isto é, a Pedro, ‘diante de todos’, pois a simulação praticada por São Pedro acarretava perigo para todos.”
SANTO TOMÁS DE AQUINO
c) A Loja Virtual (https://www.santotomas.com.br/loja) vinculada a este site, em que se acharão e venderão:

— livros de qualquer editora que estejam no âmbito da Doutrina Perene ou da Arte Cristã, ou que, conquanto de autores pagãos ou não-católicos, contribuam de algum modo significativo para o desenvolvimento delas;
“Ora, se já não há verdade, já tampouco há moralidade, pois a ação moral pressupõe que conheçamos tanto a natureza do homem, que importa dirigir, como a do fim a que tem ele de dirigir-se. Nihil volitum nisi praecognitum.”
MARCEL DE CORTE

“Quando o pastor se transforma em lobo, é ao rebanho que, em primeiro lugar, cabe defender. Normalmente, sem dúvida, a doutrina desce dos Bispos para o povo fiel, e os súditos, no domínio da Fé, não devem julgar seus chefes. Mas há, no tesouro da Revelação, pontos essenciais, que todo e qualquer cristão, em vista de seu próprio titulo de cristão, necessariamente conhece e obrigatoriamente há de defender.”
DOM GUÉRANGER
— os livros que nossa equipe de tradutores (do latim, do inglês, do francês, do espanhol, do italiano e do russo) e de revisores está preparando para outras editoras, e que deverão perfazer um total de 20 ao fim de três anos e meio;
“Quanto ao axioma ‘Onde está o Papa está a Igreja’, vale quando o Papa se comporta como Papa e chefe da Igreja; caso contrário, nem a Igreja está nele, nem ele na Igreja.”
CARDEAL CHARLES JOURNET

“Não há prova mais evidente do amor de Deus que o fato de Ele, Criador de todas as coisas, se ter feito criatura; Dono de tudo, se ter feito irmão nosso; Filho de Deus, se ter feito filho do homem.”
SANTO TOMÁS DE AQUINO
— os livros da nossa própria editora, que se dividirão em dois tipos de publicações:

• os livros com distribuição e tiragens amplas, e que, trabalhados também pela referida equipe;
“A religião cristã […] não se ligou à filosofia grega por um mero acaso, mas pelo impulso da fé em busca da inteligência, da fides quaerens intellectum, e de uma concepção do espírito que fosse universal como a própria Mensagem do Evangelho.”
MARCEL DE CORTE

“Evidentemente, a ‘mutação’ da Igreja não se teria operado sem ‘a mutação’ do homem moderno […]. A inteligência está em perigo de morte.”
MARCEL DE CORTE
• os livros com distribuição e tiragens restritas, e que, trabalhados ainda pela mesma equipe, deverão perfazer um total de 60 ao fim de cinco anos.
“Qualquer amigo verdadeiro quer para o seu amigo: 1) que exista e viva; 2) todos os bens; 3) o fazer-lhe o bem; 4) o deleitar-se com a sua convivência; e 5) por fim, o compartilhar com ele as suas alegrias e tristezas, vivendo com ele em um só coração.”
SANTO TOMÁS DE AQUINO

“A essência da caridade é fazer-se amigo de Deus, dado ser Ele feliz e a fonte da felicidade.”
SANTO TOMÁS DE AQUINO
Em Deus através de Cristo,
Marcel Assunção Barboza

P.S.: Escrevemos Santo Tomás de Aquino, em vez de “São” Tomás de Aquino (forma esta que seria a normal), por respeito à nossa tradição literária. Com efeito, não conhecemos nenhum grande autor de língua portuguesa que o grafe diferentemente. Natural e freqüentemente, porém, dá-se haplologia (redução de duas sílabas iguais ou semelhantes a uma só: por exemplo, bondoso por bondadoso, Conde Bonfim por Conde de Bonfim) quando se diz Santo Tomás, que assim se converte, na fala, em “Santomás” ou — eis — “São Tomás”.

Marcel Barboza Administrator
O responsável pelo site é Licenciado em Filosofia pela Universidade Católica Dom Bosco (UCDB) e Especialista (pós-graduado) em Filosofia e Ensino de Filosofia pelo Centro Universitário Claretiano (CEUCLAR). Editor e professor.
×
Marcel Barboza Administrator
O responsável pelo site é Licenciado em Filosofia pela Universidade Católica Dom Bosco (UCDB) e Especialista (pós-graduado) em Filosofia e Ensino de Filosofia pelo Centro Universitário Claretiano (CEUCLAR). Editor e professor.
Mostrar mais

Marcel Barboza

O responsável pelo site é Licenciado em Filosofia pela Universidade Católica Dom Bosco (UCDB) e Especialista (pós-graduado) em Filosofia e Ensino de Filosofia pelo Centro Universitário Claretiano (CEUCLAR). Editor e professor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar